segunda-feira, 20 de maio de 2013

NY

Sentada num café, olhando a rua pela janela, e trabalhando. Sim, isso pra mim é estar em NY.

Já vou sair, já vou caminhar, já vou conhecer. Mas nada é mais gostoso num novo lugar que tentar ser local, ter uma rotina.

terça-feira, 19 de março de 2013

23:57 - ímpar

Nasci num dia ímpar, de mês ímpar, ano ímpar, hora ímpar. Coloco 17 gotas de adoçante nas minhas bebidas com mais de 200ml, e vou variando -para mais ou para menos, conforme o tamanho- sempre com números ímpares.

No Pilates, eu faço repetições um número X de vezes - e esse número é sempre ímpar. Faco esteira por 45 minutos, ou 25, 35. 

Sempre que me pedem, escolho um número ímpar. Quando estou nervosa, me acalmo ao conseguir achar algum número ímpar no que me incomoda: se é uma reunião importante, por exemplo, por ser num andar ímpar já me acalma.

Gosto dos números ímpares porque, na minha lógica, eles não são perfeitos. Ao contrário, são a prova de que ser perfeito não é necessário, que as coisas funcionam muito bem, e até melhor, sem serem perfeitas. Os números ímpares se aceitam como eles são. Não se exigem mais do que sabem que podem, não criam expectativas. Não julgam.

Números ímpares são um estilo de vida.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Filosofia barata à francesa

Tive que ir na estação de trem, nesse caso na Gare du Nord. Considero as estações um lugar especial, daqueles em que tudo pode acontecer, que todos os loucos se sentem em casa. E aí me cruzo com um ser aos gritos:


S'il vous plaît, s'il vous plaît. Tanto s'il vous plaît e olha pra onde isso levou a gente!


Filósofo, não?


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Já é Natal na Tati!



Daí que aqui na casa tem uma vassoura, mas sem o cabo. Pois é, só a parte da escova. Tem um aspirador, e eu o usei (calma, não estou há 2 meses e meio sem limpar!). Só que eu não dou certo com aspirador, sou velha guarda. Aspirador tem que ficar carregando pela casa como rabo, e ainda atrapalha a música. E faxina sem música, não dá. Portanto eu precisava do cabo da vassoura. Na verdade acho que é pra tirar o cabo do esfregão, mas óbvio que eu não consegui. E fui atrás de um só pra ela.

No Carrefour custava 8 euros. Achei um absurdo. Meu parâmetro é a calça jeans da H&M, que paguei 9 euros. Logo, se a calça da minha loja preferida sai 1 euro a mais, um simples cabo não pode custar tudo isso. E resolvi arriscar e ir na Tati.

Arriscar porque a Tati é uma loucura! Como diria Samantha -após sua experiência com a versão online- "essa loja é do mal!". Tudo lindinho e baratinho. Duvida? Vai , se você tem coragem. Já aviso logo que minha mala tá cheia, impossível fazer encomendas, rs. O meu medo agora era com a decoração de Natal. Eu já tinha visto que ela tava se preparando, e que era melhor eu me manter bem longe. Mas aí veio aquela voz dizendo "8 euros num cabo não dá". É, não dá. Entrei.


E achei tudo lindo! Mas juro que me controlei! Comprei essas velinhas lindas em formato de anjinho que abrem o post (a caixa vem com 4), e mais algumas besteirinhas, nada exagerado: duas almofadas rosas de lantejoula (deixa eu curtir que não tem homem na casa!), um novo saquinho pra por meu chá e um enfeite pequeno de Natal. Tudo lindo e útil, ok?



"E o cabo?", você se pergunta. Tinha lá: 3,99. Com a escova junto, azul e branco com bolinhas! =) Não ficou linda a minha decoração (a vassoura é só pra vocês verem, claro)?










Ps: Esse quadro também comprei lá, mas não dessa vez. Só coloquei aqui pra vocês verem que lindo. 5 euros. Sem mais, eu amo a Tati!

Maybe I just don't believe


No meio da tristeza, bate um desespero: viver. Uma ansiedade, uma vontade louca de curtir cada segundo, sem parar pra pensar. De ser feliz o tempo todo. Como se fosse o mínimo que eu pudesse fazer por aqueles que já não podem mais...

Certa vez li que o Noel escreveu essa música pensando na amizade. Naquela sensação de estar com alguém, de ser feliz, e simplesmente pensar: "You and I are gonna live forever". Amizades profundas, ou não. Amigos dos amigos, que entram no seu grupo de amigos. Que você vê pouco, mas cada vez que vê se diverte, e volta pra casa com aquela ideia na cabeça. "Devíamos ver o Pablo mais vezes, né?". Que antes de se despedir pra uma grande experiência, fica a promessa: "Na volta, a gente vai se ver com mais frequência. E vocês vão finalmente conhecer o Lucho".

Mas essa música não é sobre o que não fizemos. Ela é sobre cada momento que valeu a pena. Cada momento, por menor que seja, que nos faz cantar: "You and I are gonna live forever". Mesmo que depois cada um volte pra sua rotina. Mesmo que simplesmente não seja assim. Mas em cada um daqueles momentos, foi. E viveria todos eles de novo, sem qualquer dúvida.


Maybe I don't really want to know
How your garden grows
'Cause I just want to fly
Lately, did you ever feel the pain?
In the morning rain
As it soaks it to the bone?

Maybe I just want to fly
I want to live, I don't want to die
Maybe I just want to breathe
Maybe I just don't believe
Maybe you're the same as me
We see things they'll never see
You and I are gonna live forever

I said maybe I don't really want to know
How your garden grows
'Cause I just want to fly
And lately, did you ever feel the pain
In the morning rain
As it soaks it to the bone?

Maybe I will never be
All the things that I want to be
But now is not the time to cry
Now's the time to find out why
I think you're the same as me
We see things they'll never see
You and I are gonna live forever

Maybe I don't really want to know
How your garden grows
'Cause I just want to fly
Lately, did you ever feel the pain
In the morning rain
As it soaks it to the bone?

Maybe I just want to fly
I want to live, I don't want to die
Maybe I just want to breathe
Maybe I just don't believe
Maybe you're the same as me
We see things they'll never see
You and I are gonna live forever

We're gonna live forever
We're gonna live forever
We're gonna live forever
We're gonna live forever