sábado, 13 de outubro de 2007

Tomates nem verdes, nem fritos



Que a inflação existe na Argentina é um fato, só o governo continua insistindo que não. Mas que o kg do tomate chegue a 18 pesos (um pouco menos de 6 dólares) é uma loucura. Já que o governo não fez nada, partiu da sociedade civil tomar uma atitude: boicot ao tomate!

Organizações de direito dos consumidores e os mercados chineses (aqui praticamente todos os mini mercados são de chineses, os conhecidos "chinos") propuseram o boicot esse semana, e o resultado: no segundo dia, o tomate já estava a $7,00, chegando no final da semana a até $3,00. Uma grande vitória.

Mais que nunca frequentei verdurarias e escutava as pessoas falando: "Não, tomate, não. Eu apoio o boicot". Estava por todos os lados, em todos os jornais e canais de TV.

O legal é que esse boicot mostra como a sociedade civil pode, sim, mudar as coisas que não a agradam se existe movilização. Aquela velha história de "se a gente fizer alguma coisa, as coisas mudam", foi provada que funciona.

VIVA O (Boicot ao) TOMATE!

Um comentário:

Renato Rosário disse...

Esse tipo de atitude é ducacete, mas só mesmo numa sociedade como a Argentina!

No Brasil, você conhece como é o marasmo nosso... Jamais haveria algo desse tipo!

Muito massa mesmo!