sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Pra quem é o Natal?


Não sou cristã mas minha família comemora o Natal. Na verdade é a data que temos para estar com aqueles parentes que quase nunca vemos, ou só uma desculpa para reunir a todos e fazer uma boa bagunça. No meu caso é também uma maneira de ver muitas pessoas no curto tempo que tenho de visita.

Mas acho que a cada ano o Natal vai ficando mais frio, sem-graça e estressante. Os dias anteriores e a correria para comprar presentes e fazer toda aquela comida exagerada acabam estragando o lado bom, que é estar com pessoas que gostamos. Na hora da festa, estão todos cansados da correria e já lamentando o trabalho de arrumar tudo depois.

Além disso o desperdício e o consumismo no Natal me irritam. É uma loucura comer num verão de 30 graus à noite essa comida tão pesada, típica de países frios. Aquele monte de presentes então, nem falar: milhões de bobeiras e coisas inúteis, as famosas "lembrancinhas", que servem só para saciar essa sede consumista que nos ataca nessa época do ano.

O fato é que o Natal se tornou mais uma data em que vivemos na nossa bolha: a maioria da população continua passando fome, vivendo em situações precárias, e nós nesse momento em que se supõe que somos solidários, pregamos o desperdício.

Por isso que eu propus (mas acho que não me deram atenção, então volto a propor) que nesse Natal de 2008 façamos algo verdadeiramente útil: menos comida, menos exagero, e no lugar daquela lembrancinha, que tal realizar o sonho de uma das milhares de crianças que escrevem uma cartinha para o Papai Noel e as mesmas ficam nas agências do correio à disposição de todos para ajudar?





Pelo menos com essas mudanças acho que eu começaria meu novo ano menos pessimista...

Nenhum comentário: