terça-feira, 29 de abril de 2008

Da série: "Coincidências estranhas e divertidas da vida".



Ontem estava no metrô e sentou uma menina do meu lado, e sua amiga ficou parada e elas conversando. Daquelas conversas que não dá pra não escutar, não porque sejam interessantes, mas porque elas falavam muito alto:

P1: - Ah, você vai no meu aniversário, né? É no dia das mães! Dia 11 de maio, dia das mães, mas vou fazer algo no sábado dia 10, à noite.

Meu coração disparou. Eu faço aniversário dia 11 de maio!! E sempre fui meio complexada porque poucas pessoas fazem aniversário junto comigo, mas meu complexo maior é nunca poder comemorar bem por causa do dia das mães. Imaginem, eu que acho que nesse mundo todo poucas pessoas nascem comigo, fui ter uma justo do meu lado no metrô.

Já que fiz essa pausa no diálogo pra relembrar esses traumas bizarros que temos na vida, conto pra vocês sobre as várias vezes que via o Videoshow no dia do meu aniversário, porque tinha um quadro "Feliz Aniversário" (ou algo do tipo), com os aniversariantes do dia, e nunca ninguém fazia comigo... Dos que eu me lembro:

- Cadu, que estudou comigo no CPII Centro;
- O filho do Jô Soares (não me perguntem como eu sei isso)
- Salvador Dalí (Muita coisa se explica sobre minha loucura com esse dado).

Mas, a coincidência não termina aí. Voltando ao diálogo, adivinhem o nome da menina que estava parada (não a que faz aniversário comigo, a outra): LÍVIA! Aí já é demais! Esclarecendo: o trauma de que ninguém fazia aniversário comigo é parecido com o trauma que eu tenho do meu nome. Fora o fato de que conhecia poucas Lívia (hoje até conheço bastantes), tinha o estresse de escutar sempre:

-Lídia?/ Nívia?/ - Lígia?/ e, juro: -Alicia? (!!!!)


É, a vida...

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Estarei desligando...







Sou daquelas pessoas que costuma trocar a noite pelo dia. Gosto de ficar estudando e trabalhando até tarde, entro a madrugada sem problemas. Acho que é pelo silêncio e por aquele aquele ar de mistério. Bom, isso tudo é pra justificar que eu acordo tarde (também adoro dormir, claro). Imaginem então o drama que é pra mim ser acordada às 9h da manhã com uma vendedora de telemarketing no telefone. E nem era pra mim! O diálogo foi o comum:

- Bom dia, eu poderia falar com a senhora Débora (minha irmã), por favor?

- Quem deseja?

- É do Banco Santander.


Pausa. Claro que eu não iria deixar que ela estragasse o dia da minha irmã também. Sei muito bem que ela não tem interesse algum em nada do Santander, portanto tentei poupar tempo de todos:

- Ela não está. - E quando eu posso encontrá-la?

- Olha, é bem difícil, ela entra no trabalho cedo e sai tarde. Mas eu posso te adiantar que ela já possui um banco e está muito satisfeita, não tem nenhum interesse em adquirir novos serviços de outro banco.

- Eu tenho que escutar isso diretamente dela (aqui começa a grosseria). Você pode me dizer quando posso encontrá-la?

- Já te disse, ela sai muito cedo e volta muito tarde. Você não vai encontrá-la, até porque ela não quer ser encontrada...


- Mas eu preciso escutar isso diretamente dela (frase mais que decorada), que hora ela chega?

- Na que eu já falei.


- Muito obrigada, eu estarei retornando n
este horário. (ahhhhhhhh! esse maldito gerúndio!!!)

É um saco. Eles ligam pra sua casa pra vender bagulho e ainda se acham no direito de te tratar mal! Como se estivessem fazendo um favor!

Outro dia li em uma revista que cada telefone sai entre 0,10 e 0,20 centavos. Uma pequena dúvida: por que é legal que vendam meus dados à essas empresas? É uma falta de respeito que me incomodem na minha casa ou no meu celular. Se eu quiser um produto, eu ligo, eu vou na loja. Não me sufoquem, por favor!

Por isso eu decidi que não aceito nada que me oferecem por telefone. Questão de princípio!

Pior é que quando nós ligamos para cancelar algo, aí não atendem, o sistema não funciona.. um inferno! Esse outro lado da moeda também existe na Argentina, e já sofri muito, de chorar no telefone de raiva. Mas, teimosa como boa taurina, consegui depois de meses que devolvessem o que cobraram errado. E tem que ser assim.

Não gosto de culpar os atendentes porque já trabalhei numa espécie de call center e sei como é. Você tem metas, seu salário basicamente depende das suas vendas, e ninguém te capacita bem ou te dá boas ferramentas pra isso. É quase fazer milagres, o que é muito complicado pra alguém como eu que não acredita que milagres existam. Mas posso tranqüilizar todos vocês de que nunca passei dos limites. Meus chefes diziam "liga de novo pra fulano", e eu não ligava. Respeitava, porque é uma encheção de saco essa insistência.

E mais: nunca paguei por um número de tel. Quase todos peguei na Internet. Por isso, se querem evitar o estresse da ligação de telemarketing, uma dica: não coloquem seus dados na Internet. Existem, sim, pessoas que são pagas pra consegui-los. Eu já fui uma delas...

Ah, eu adoro histórias de como fugir dos telemarketings! Se você tiver alguma, me conte!

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Culturas e diversidades: isso é São Paulo

Na minha breve visita a São Paulo, não poderia deixar de visitar o MAM, Museu de Arte Moderna. E, claro, valeu a pena.

A exposição principal nesse momento é Quando vidas se tornam forma: diálogo com o futuro – Brasil / Japão (11/04 a 22/06):

O Museu de Arte Moderna de São Paulo apresenta a grande exposição de arte contemporânea brasileira e japonesa “Quando vidas se tornam forma: diálogo com o futuro – Brasil / Japão”, sob curadoria de Yuko Hasegawa, curadora do Museu de Arte Contemporânea de Tóquio (MOT). A mostra marca as comemorações do MAM-SP por ocasião do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil (iniciadas em 2007 com a mostra “Semear”, de Rinko Kawauchi) e abrange aspectos da arquitetura, da arte, da moda e do design em cerca de 140 obras (de 21 artistas brasileiros e 18 japoneses) que usam a tecnologia e o cotidiano e guardam relações entre si, mesmo vindas de culturas tão diferentes quanto a brasileira e a japonesa.

Imagem: Cildo Meireles "Zero Dólar", 1978/84

No ano do centenário da imigração japonesa, São Paulo não poderia deixar de fazer sua homenagem. Afinal, essa cidade imensa, que esbanja trânsito, mas também cultura e diversidade, é a maior concentração de japoneses fora do Japão. Vale a pena conhecer um pouco mais dessa cultura.









Algumas curiosidades sobre São Paulo:


  • São Paulo ocupa a 62ª posição de cidades mais caras do mundo;
  • São Paulo foi eleita pela revista estadunidense Reader's Digest a quarta cidade mais gentil do mundo em 2006;
  • A cidade de São Paulo hoje tem a segunda maior frota de helicópteros do mundo, atrás apenas de Nova York;
  • São Paulo tem um dos 5 maiores zoológicos do mundo;
  • Durante o 10º Congresso Internacional de Gastronomia, Hospitalidade e Turismo (CIHAT) realizado em 1997 a cidade de São Paulo recebeu o título de "Capital Mundial da Gastronomia" de uma comissão formada por representantes de 43 nações;
  • A rua Oscar Freire é uma das oito mais luxuosas do Mundo de acordo com a Mystery Shopping International;
  • São Paulo é um dos maiores centros geradores de tendências em moda no mundo;
  • São Paulo é a maior cidade italiana fora da Itália;
  • São Paulo é a maior cidade japonesa fora do Japão;
  • São Paulo é a maior cidade espanhola fora da Espanha;
  • São Paulo é a maior cidade libanesa fora do Líbano;
  • São Paulo é a maior cidade portuguesa fora de Portugal;
  • São Paulo é a maior cidade nordestina fora do Nordeste;
  • Dos 1.522km² do município de São Paulo 31 km2 são de favelas;
  • São Paulo é a terceira maior cidade do mundo em quantidade de prédios, de acordo com o página especializado em pesquisa de dados sobre edificações, Emporis Buildings;
  • São Paulo tem a 3ª maior frota de táxis da América Latina;
  • São mais de 6 milhões de automóveis registrados em toda a cidade;
  • A cidade tem o mais alto arranha-céu do país, o Mirante do Vale, também conhecido como Palácio Zarzur Kogan com 170 metros de altura;
  • O Complexo viário Real Parque, que está sendo construído na cidade, terá a única ponte estaiada do mundo com duas pistas em curva conectadas a um mesmo mastro.
Fonte: wikipédia Brasil

terça-feira, 15 de abril de 2008

Miss plástico

Na semana passada aconteceu o Miss Brasil. Na verdade esse tipo de concurso não tem muita fama no Brasil, cabe às vencedoras saberem aproveitar seus 15 minutos de fama. Esse foi o caso da vencedora de 2007, Natália Guimarães, que até hoje se mantém nas páginas de fofoca especialmente por seu relacionamento com o governador de Minas Gerais, Aécio Neves.

(Pausa: em 2007 eu estava no Brasil na final do concurso. Lembro que vi com minha prima -que ironicamente se chama Natália- e a futura vencedora já falava de sua admiração por Aécio Neves...)

Não gosto desse tipo de programa, mas tanto pela liberdade de expressão como por acreditar que gosto cada um tem o seu, não me importo muito que isso seja noticiado, até porque não vejo exageros por parte da mídia.

Mas esse ano me assustei. A vencedora foi, mais uma vez, uma Natália, dessa vez Natália Anderle, do Rio Grande do Sul. Linda, sem dúvidas. Simpática? Não sei, só vi fotos, mas é daquelas pessoas que pelas fotos parecem simpáticas. Por que eu me assustei? Porque a nova Natália não se limitou a fazer plástica nos seios, como é moda agora. Essas são as cirurgias feitas pela nova miss:

* silicone nos seios
* silicone no bumbum
* retirou duas costelas para afinar a cintura
* fez plástica no nariz
* lipoaspiração
* e usa dentes de porcelana.

Oficialmente, Natália apenas confirma parte das plásticas, o que pelo menos mostra que até a própria entende que algo está errado.

Beleza tem preço, isso está claro. O preço é quanto você pode pagar a um cirurgião (vide Carla Perez). Mas , novamente defendendo a liberdade de cada um, fico assustada com a necessidade de pessoas como a Natália Anderle de mudar tanto seu próprio corpo. Não importa o motivo, eu gostaria de saber se de verdade não incomoda ter que olhar todos os dias no espelho e saber que aquela ali não é você.

Olhem as fotos. A primeira é da Natália de 2007, e as outras duas da Natália de 2008. Não é dor de cotovelo, não, mas além dos nomes, elas não parecem ser fisicamente iguais?

domingo, 13 de abril de 2008

“Nobody ever seems to remember life is a game we play.”

Hoje fui mudar um pouco meu perfil do Facebook e resolvi preencher o campo "quotes" -citações-, já que eu sou dessas pessoas que adora ficar citando música, livro, qualquer coisa que faz com que a minha cabeça fique pensando ainda mais do que já penso.

Aí descobri passeando pela web esse site, que achei bem legal:

Nele podemos encontrar várias citações famosas. Recomendo à todas as mentes que adoram viajar, como a minha.

Thinkexist.com

Ps: o título é a citação que eu fui buscar...

sábado, 12 de abril de 2008

Paixão adolescente...

Estou na crise da véspera de completar meu 1/4 de século, então estou agindo como uma adolescente. Nesse momento, a crise é dos amores platônico... e a vítima, Ethan Hawke.

Como disse a uma amiga, gosto dele "sujinho e rebelde", como em "Antes do Amanhecer" e o filme do post anterior, "Cainda na Real".

Ontem começou o frio aqui em Buenos Aires, aí fui alugar filmes. É um dos meus programas favoritos, filme, edredon, comida chinesa e... Ale. Mas como nem tudo é perfeito, faltou meu pé de laranja lima... Mas mesmo assim me diverti. Adoro quando me diverto sozinha.

Bom, a coisa é que aluguei "Antes do Amanhecer". Já tinha visto, mas não gostei tanto da primeira vez como agora. Então termino o post e vou correndo alugar o "Antes do por-do-sol", tenho que saber o que acontece com eles! No vídeo, uma das cenas mais lindas do filme...



Acho que vou começar uma super maratona de filmes do Ethan Hawke. Todos que eu me lembro de ter visto eram muito bons. Aos interessados, aqui a lista:

Filmografia


2008 - Staten Island
2007 - Tonight at noon
2007 - Antes que o diabo saiba que você está morto (Before the devil knows you're dead)
2006 - Hottest state, The
2006 - Nação fast food - Uma rede de corrupção (Fast food nation)
2005 - One last thing...
2005 - Assalto à 13ª DP (Assault on precint 13)
2005 - O senhor das armas (Lord of war)
2004 - Antes do pôr-do-sol (Before sunset)
2004 - Roubando vidas (Taking lives)
2001 - Jimmy Show, The
2001 - Dia de treinamento (Training day)
2001 - Tape
2001 - Chelsea Walls (voz)
2000 - Waking life (Waking life) (voz)
2000 - Hamlet (Hamlet)
1999 - Neve sobre os cedros (Snow falling on cedars)
1999 - Joe the king
1998 - Newton Boys - Os irmãos fora-da-lei (Newton Boys, The)
1998 - Grandes esperanças (Great expectations)
1998 - A velocidade de Gary (Velocity of Gary, The)
1997 - Gattaca - Experiência Genética (Gattaca)
1995 - Cercar e destruir (Search and destroy)
1995 - Antes do amanhecer (Before sunrise)
1994 - Caninos brancos II - A lenda do lobo branco (White Fang II: Myth of the White Wolf)
1994 - Floundering
1994 - Quiz Show - A verdade dos bastidores (Quiz Show)
1994 - Caindo na real (Reality bites)
1993 - Vivos (Alive)
1992 - Terra d'água (Waterland)
1993 - Uma razão para o amor (Rich in love)
1991 - Noites calmas (A midnight clear)
1991 - Que garota, que noite (Mystery date)
1991 - Caninos brancos (White Fang)
1989 - Sociedade dos poetas mortos (Dead poets society)
1989 - Pai (Dad)
1985 - Viagem ao mundo dos sonhos (Explorers)

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Adoro filmes "cool"!

Mais uma vez, estrago o final de um filme. Se você não viu "Reality bites" (Acho que em português é "Caindo na Real"), não veja o vídeo aí de cima. Atenção: Este filme é dos tempos que a Winona era conhecida por ser uma boa atriz, e não uma cleptomaníaca.


Este é um dos meus lados negros: adoro esses filmes de jovens rebeldes-sem-causa que detestam tudo ao seu redor e ficam procurando alguma razão pras suas vidas... Fico pensando nessa necessidade que jovens como eu, que tiveram tudo na vida, temos de procurar algo que dê sentido para nossa existência.

Tenho esse sentimento dentro de mim de que sou uma eterna nômade, e o simples fato de estar estabilizada me dá pavor. Uma vez conversando com um amigo comentei que o meu grande medo era terminar minha vida numa daquelas casas de subúrbio de filme americano, com meus 2 filhos, marido e cachorro. Aí eu penso: qual é o meu problema? Essa possibilidade de vida simples... por que me assusta tanto?

Sei lá... só queria expor um pouco essa contradição que é a minha mente! Mas acho que, no fundo, eu sou o mais comum de todos os seres humanos: uma egocêntrica de 24 (quase 25!) anos.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Ai meu nariz!

Outro dia uma amiga publicou no blog El Viaje de Odiseo um post sobre as novas idéias para "proteger" os pedestres nesse mundo de mensagens de celular e de Ipod, no qual caminhamos na rua mais distraídos do que nunca.

Muitas pessoas devem achar que isso é uma perda de tempo, que os governos deveriam estar mais preocupados com outras coisas etc. Mas os desastrados e destraídos desse mundo -como eu!- agradecemos essas iniciativas!

Sou um exemplo de incapacidade de viver com a gravidade: meu lugar-comum é o chão! Em outubro do ano passado cai um andar inteiro de escadas num prédio antigo aqui em Buenos Aires, com aquelas escadas de mármore, e até desmaiei, além de um dente quebrado (pouquinho, nada grave).

Mas a minha mais famosa (e engraçada) com certeza foi quando no inverno de 2006 eu dei com a cara na porta de vidro de uma loja no meu horário do almoço. Fui parar no hospital e fiquei 2 dias de licença. Quase quebrei o nariz... e quem me conhece pessoalmente sabe que ele já é bastante chamativo sem eu precisar fazer coisas desse tipo. A história completa está vocês podem ler aqui, mas deixo uma foto para divertir um pouco:


Se em Buenos Aires as portas de vidros das lojas fossem alcochoadas, e os postes, as paredes etc, como na foto do post que indiquei, a vida de alguns mortais como eu não apenas seria mais fácil, como também mais segura. Mas para os que convivem comigo, um pouco menos engraçada...