sexta-feira, 27 de junho de 2008

Festa da praça

Ainda não consegui ter tempo pra fazer o post que devo explicando a briga entre CAMPO e GOVERNO aqui na Argentina por causa das retenções que o governo pôs a partir do dia 11 de março. Uma vergonha, eu sei, porque foram 101 dias de greve dos "homens do campo" e não dá pra falar que em 101 dias eu não pensei em nada. Mas o que importa é que agora eu quero falar da nova cena do conflito: o Congresso Nacional.

Depois do dia "D", digamos assim pra dar um nome, que foi o dia 16/06, uma segunda-feira, feriado, dia seguinte do dia dos pais (claro que aqui o dia dos pais e o dia das mães é outra data, e claro também que é por causa do San Martín. Sério.), que foi o tal do "cacerolazo" (panelaço) super concorrido e movimentado pela nata da sociedade argentina, e que gerou o meu post rebelde de desabafo, De saco cheio, o cenário mudou. Como eu gosto de fazer piadinhas sem-graça (e insistir nelas), "Alguém tinha que ceder": Cristinhinha (governo) decidiu mandar a tal da lei de retenções pro Congresso Nacional, pra ser ou não aceita. Os "homens do campo" pediam isso desde o início, e Cristininha cedeu, mas a seu modo: "Faço porque quero, mas não tenho obrigação". Ela é muito do tipo mulé macho, mas no sentido de poder, não de ser masculina (até porque seu guarda roupa é um assunto a parte), é bizarro, dá discurso com aquele dedo de esporro apontando não a um de nós, mas a todo um país, em cadeia nacional. Toda sinistrona ela, toda se querendo. Ah, e disse também que nada de mudar a lei que ela tinha assinado, o projeto ou passa como ela mandou, ou não passa.


Resultado, o conflito ganhou um novo objetivo, os deputados e senadores (que são perseguidos, é muito engraçado, tem "homem do campo" que até ameaça de morte quem votar a favor) e novo point: a Praça dos dois Congressos. Quem conhece Buenos Aires sabe que é uma praça que há uns 2, 3 anos estava suja, mal cuidada, mas agora tá toda linda. Parece que já sabia que ia ser point. E argentino que se prese já inventou a nova onda: acamparam na praça. Pois é, os 2 grupos, os da Cristininha (com várias barracas, ou "carpas" em espanhol) e os dos "homens do campo". Veio a prefeitura de Buenos Aires e disse que era ilegal (pros da Cristininha, os outros pediram autorização), mas como a polícia que tinha que expulsá-los era federal (ou seja, do governo), ninguém saiu de lá. Então passaram a viver em harmonia, no que significa essa palavra aqui na Argentina, né: um dia jogaram rugby (cara, isso é demais pra minha pessoa! Jogar rugby como se fosse futebol, só pra dizer que são "europeus"), aí dois dias depois um jovem que apoiava os "homens do campo" foi esfaqueado, tudo assim, bem tangueiro, com transmissão ao vivo praticamente 24h nos canais de TV e o CQC daqui fazendo a festa.

E nisso estamos. Em tempos que o Brasil faz suas deliciosas festas juninas, o argentino inovou e, no frio do inverno porteño, montou suas barracas na pracinha, com direito a touro inflável ("homens do campo")- carinhosamente chamado de Alfredito, que é um dos líderes, Alfredo de Angelis, e virou uma espécie de ídolo da oposição quando foi preso no dia 14/06 mostrando suas gordurinhas salientes (ele tem um pouquinho mais que a Kurkov) em cadeia nacional- pessoas fantasiadas de ovo e um pingüim inflável (Cristininha`s friends), e assim segue a vida aqui no país do piquete.






Vamos tomar muito vinho porque essa loucura tá foda!!!


Bom post sobre o novo point no Blog do Túlio:
Prefeitura não consegue chutar o pau da barraca da presidente

3 comentários:

Túlio disse...

vi que a dona Cretina Kirchner fez plástica no pescoço! levantou tudo!

NANDO DAMÁZIO disse...

Desejo que fique tudo bem por aí ..
Abração, Lívia !!

Lívia disse...

Berto xxx: Me sinto lisonjeada por tantos elogios de uma pessoa que provavelmente não entendeu lhufas do que eu escrevi! Thank u!

Túlio: Tu sabe mais da vida dela que o nestor, hahaha! Bom, mas marido traído é sempre o último a saber, né?

Nando: Tá tranqüilo, "a gente se fode mas se diverte"!