terça-feira, 3 de junho de 2008

Nas alturas

No dia 22 de maio fui pra Porto de Galinhas, me "despedindo" do Brasil, mais uma vez. Nem preciso comentar que o lugar é maravilhoso, com praias e piscinas naturais lindíssimas, e super recomendável.

O que merece meu post é o tipo de transporte que nos levou de São Paulo até Recife: avião. Melhor, a companhia aérea responsável por essas 3horas de viagem na ida mais 3h na volta, a TAM.

Como eu moro na Argentina e é relativamente perto do Rio de Janeiro, viajo bastante de avião. Quer dizer, bastante considerando que viajo internacional. Pelo menos 3 vezes ao ano, ida e volta, desde 2005. Some aí uma viagem a Bariloche e ponta aérea RJ-SP. Por muito tempo reclamei horrores da Gol, até que passei a voar feliz de Varig e me apaixonei pela Lan. Até que nessa viagem pra Porto de Galinhas fui de TAM... e prometi nunca mais reclamar da Gol.

Eu sou alta, então bancos apertados realmente me incomodam. E o da TAM, pelo menos no avião que eu fui, era bem apertado, o pior que eu já viajei. Mas isso ainda dá pra aceitar. O que realmente me incomodou foi a antipatia das comissárias da empresa. Sorriso era artigo de luxo, e o tom da comandante ao anunciar que havia um atraso na decolagem era de diretora dando esporro quando cantávamos mal o hino nacional no colégio.

Eu já tava de mal humor com o mal humor dos funcionários, e me senti pior quando o vídeo que a empresa passa durante o vôo se refere à todos como "clientes", e não "passageiros". Tudo bem, não é lá grande coisa, mas eu realmente prefiro ser lembrada como passageira do que como uma simples compradora.

Não terminou aí. Com um projeto de "valorizar a cultura nacional", a TAM está dando como refeição pratos típicos de cada região do Brasil. Na ida nossa incrível surpresa: feijoada. Sim, eu comi feijoada no avião, a foto abaixo prova isso:


(O dedo do Ale mostra sua desaprovação com a oferta)

Não vou negar que estava gostosa, mas na boa: feijoada no avião? É uma comida super pesada, nem todos gostam, e nem quero falar da reação do nosso corpo à esse tipo de comida: peidos! Sim, esse era o cenário... e quando perguntei se havia outra opção, me disseram que não, somente isso. Ou seja, se eu fosse vegetariana, ou simplesmente não gostasse de feijoada, ficava com fome e pronto.

E a volta: o prato da região Sul era abobrinha com carne moída. É sério. A cara das crianças olhando dava pena. E perguntei pra uma amiga de Curitiba e ela me garantiu: não tem a menor idéia em que parte do Sul abobrinha com carne moída é o prato típico.

Moral da história: a TAM conseguiu ficar atrás da Gol na lista. E a Lan continua na frente.

Nenhum comentário: