quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Pela democracia



Por aqui na Argentina, mais dois assassinos julgados e condenados pela justiça. Hoje saiu a pena para dois torturadores da última ditadura militar, Bussi e Menéndez: prisão perpétua. Infelizmente o Bussi vai cumprir prisão domiciliar por seu péssimo estado de saúde (eu queria vê-lo apodrecendo na cadeia), mas é uma grande satisfação ver que, pelo menos em algum lugar da América do Sul, esses assassinos são julgados e condenados.

Enquanto isso, no Brasil, a discussão do julgamento é caracterizada pelo senso comum de "revanchismo". Revanchismo seria eu defender que os torturadores da era militar fossem mandados pras prisões e torturados selvagemente, sem direito à justiça. Não, os que como eu defendem a punição e o julgamento dessa corja se chama JUSTIÇA. Queremos que, sob leis democráticas, eles sejam julgados por seus atos.

Quanto à revisão da lei da Anistia, defendo isso com unhas e dentes. Mas não é essa a questão aqui, exatamente o contrário. O que se discute é que a Anistia era pra crimes políticos, e que a tortura nos porões da ditadura por membros do governo é crime comum, portanto, a Anistia não vale.

Crimes de lesa-humanidade não tem prescrição, e já é hora do Brasil fazer valer esses milhões de tratados de direito internacional que assina. A violação dos direitos humanos é uma questão ainda presente na nossa sociedade, e para crescermos como democracia precisamos fazer justiça.

A reação dos militares brasileiros que fazem circo no Círculo militar é vergonhosa. Eles deviam ser os primeiros, como Instituição, de querer que a justiça seja feita, e assim tentar melhorar a própria imagem. O julgamento desassocia ações individuais de membros do exército da corporação como um todo. E a retórica utilizada dá, no mínimo, vergonha:

“A anistia de 1979 não era para idealistas que rompiam com a legalidade na esperança de um país melhor. Era anistia para marxistas, marxistas-leninistas, revolucionários maus, perversos, que não perdoam a derrota”. (General Sérgio Augusto Coutinho, ex-chefe do CIE) - Em Carta Capital

Poupem-me da palhaçada.

Mais que nunca, o Brasil precisa recuperar essa memória. E para quem pensa coisas do tipo: "mas e o julgamento dos terroristas?", por favor, nem perde seu tempo comentando aqui. Vai ler um pouco mais sobre o assunto e se informar, antes de falar merda.

Recomendo:

Um direito universal
Na mesma medida

sábado, 16 de agosto de 2008

"But hiswife was Madonna!"

Será que algum dia vão entender que "Os Simpsons" é uma crítica à ignorância dos norte-americanos?

E que nesse caso, a piada é com o filme, mostrando como a política hoje é mais que nada mídia?

Vamos, CQC!

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Sem querer ofender...


... mas já ofendendo, porque A-D-O-R-O intrigas e teorias: além de mim alguém mais acha que o Evo só ganhou porque a Cristininha desistiu de ir até a Bolívia dar o seu apoio ao "hermano"? Cara, nesse momento tudo que ela encosta dá errado... acho até que o Evo pediu:

Cris, brigadão pelo apoio e tal, mas tipo, é importante bagaralho que eu ganhe... você se incomoda de não vir dar seu apoio? É que ultimamente onde você toca... é isso.

XOXO

Evo


Ok, assumo que estou exagerando com Gossip Girls... mas não seria o máximo se eles se comunicassem assim?

sábado, 9 de agosto de 2008

Meus sonhos




Tem um blog que eu gosto bastante, o Surfista Platinado, e, fuxicando, vi o post sobre os 8 sonhos. Como o surfista disse que não ia convidar ninguém -coisa que eu chata fiz com o Meme- e quem quisesse escrevia o seu, então óbvio que eu que adoro dar pitaco vou participar, né? A proposta é: "elaborar uma relação com as oito coisas que quero fazer antes de morrer". Aí vai:

  1. Mais tatuagens. Acho lindo, e gosto da idéia de ter imagens que significam algo pra mim marcadas pra sempre no meu corpo. Nada muito chamativo, pequenas, como a que já tenho na nuca. Uma delas com certeza será a Mafalda.
  2. Ver um vulcão ativo. Sério, tenho muita, muita vontade de apenas ficar sentadinha, olhando aquele espetáculo da natureza, tão perigoso mas tão mágico...
  3. Escrever um livro que eu goste. Alguma coisa que seja útil, já que eu leio milhões e milhões de livros repetitivos, só pros autores colocarem no CV que possuem diversas publicações. Eu não, eu queria escrever algo que fosse novo, de verdade, e que servisse pras outras pessoas.
  4. Ajudar mais. Ajudar quem precisa, mudar um pouco tudo isso que me incomoda no mundo... e por isso escolhi minha profissão de educadora. Pra poder ajudar as pessoas a mudarem o mundo.
  5. Conhecer Fernando de Noronha. E ficar jogada no sol que nem lagartixa, só aproveitando a paz de estar em um lugar assim.
  6. Adotar uma criança. Por incrível que pareça, eu não tenho vontade de ficar grávida. Não acho bonito, e vejo a coisa de uma maneira negativa. Não me acho insensível por isso, porque sei que muitas mulheres pensam o mesmo mas por uma questão social temos todas que gostar de estar com uma barriga imensa e um bebê lá dentro. Eu não. Acho muito mais lindo e mais legal adotar. De verdade. Mas como adoro viver experiências de todos os tipos, quero poder viver os dois: adoção e gestação.
  7. Conhecer a América Latina, a grande paixão da minha vida. Quero conhecer cada espaço, cada lugar, cada cultura, cada sensação desse lugar que me envolve, me instiga, me enlouquece e me surpreende a cada dia. Sei que é impossível, e isso me apaixona cada vez mais. Quero pôr a mochila nas costas e sair por aí, conhecendo.
  8. Fazer o Ale feliz. Meu lado mais egoísta é, sem dúvida, me importar tanto com a felicidade do Ale quando sei que existem tantas outras coisas que merecem mais minha atenção nesse mundo. E isso é, pra mim, amor.
Bom, vou seguir a idéia do Surfista e deixar aqui a opção de quem quiser fazer sua própria lista. Sabe qual foi o mais legal de tudo isso? A dificuldade de conseguir 8 sonhos, porque na verdade eu já estou realizando quase tudo que quero e não vejo nada como impossível!

PS: Juli, achei a sua cara, hein?

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

"no me gusta esperar... pero igual te espero"

Em dias de saudade absurda, depois de viver intensamente 3 dias de pura alegria, só mesmo o Calamaro para expressar esse sentimento de vazio quando ele não está...

Te quiero pero te llevaste la flor
y me dejaste el florero
te quiero me dejaste la ceniza
y te llevaste el cenicero
te quiero pero te llevaste marzo
y te rendiste en febrero
primero te quiero igual
te quiero , te llevaste la cabeza
y me dejaste el sombrero
te quiero pero te olvidaste abril
en el ropero pero igual
te quiero no me gusta esperar
pero igual te espero
primero te quiero igual
te quiero me dejaste el florero
y te llevaste la flor
pero igual
te quiero me dejaste el vestido
y te llevaste el amor
te quiero pero te olvidaste abril
en el ropero
primero te quiero igual
no sé si estoy despierto ) bis
o tengo los ojos abiertos )
te quiero, no sé si estoy despierto
o tengo los ojos abiertos
sé que te quiero y que me esperan
más aeropuertos
te quiero te llevaste la vela
y me dejaste el entierro
primero te quiero igual
te quiero pero te llevaste la flor
y me dejaste el florero
te quiero me dejaste la ceniza
y te llevaste el cenicero
te quiero pero te llevaste marzo
y te rendiste en febrero
primero te quiero igual