quarta-feira, 17 de junho de 2009

A família buscapé versão Minas Gerais


A família do meu pai é bem grande. Minha avó teve 10 filhos (5 homens e 5 mulheres), adotou mais uma mulher e o caçula homem morreu jovem, ainda na década de 80. E, claro, esses muitos filhos tiveram muitos outros filhos mais, e alguns destes também já tiveram filhos. E ainda temos os tios-avós, os agregados, o primo do primo... Eu sei que, oficialmente, somos mais de 30 netos e bisnetos.

E nesse último feriado comemoramos os 80 anos da velhinha. E foi uma delícia! Longe pra chegar, mas depois alguns dias de muito pão-de-queijo, comida mineira da melhor qualidade, cervejinha, pernas pro ar, rede e papo furado. Delícia!

Há 5 anos eu não ia visitar a família. Muitos eu vi quando vinha ao Rio, e até tiveram os que me visitaram em Buenos Aires. Mas eu sentia muita falta de estar entre eles, lá no norte de Minas, naquela longe Januária...

Claro que, como toda família (especialmente as grandes), nem tudo é paz. Todos temos nossos desafetos, e teve até quem resolveu manchar um pouco a festa. Mas eu levo tudo numa boa. Porque os que eu gosto, estar com aqueles que eu amo de verdade, fazem todas essas besteiras ficarem muito pequenas.

E agora bate aquela saudade de estar de novo lá, e a tristeza em saber que dificilmente a gente consegue juntar (quase) todo mundo de novo...

Na foto: Vovó com seus netos, ou melhor, quase todos, faltando Binho, Felipe, Fé, Glauco e Cintia.

3 comentários:

Túlio disse...

ótima mesmo essa sensação de estar em família.
mas às vezes me pergunto se ela não acontece só quando a gente está longe dela, pq quando estamos juntos muito perto só falta sair porrada!

Lívia disse...

haha! Pior é que saiu! Mas, como eu disse, faz parte...

R R disse...

Foi bom, valeu... E bom que não vi a briga, por isso que é bom dormir cedo...
Ah, mandei 2 fotos pro seu e-mail do Gmail, dá uma checada depois.

Beijão!