quinta-feira, 4 de junho de 2009

Sou só eu?

Me revolta a história do menininho que tá sendo criado pelo padrasto aqui no Brasil e a justiça vai ter que decidir se o pai dele, norte-americano, tem ou não o direito de criar o filho nos EUA.

Juro que nem entendo a disputa. Só porque o menino é brasileiro então o pai perde todos os direitos sobre ele?

Seguindo essa lógica, já que meu namorado é argentino, se nós temos um filho, eu venho pro Brasil com a criança sem dizer que não volto pra Argentina (o que eu já considero seqüestro), eu morro, então o meu filho é criado pelo padrasto???? Como???

É completamente contraditório o que a justiça brasileira está fazendo. Há pouco tempo definiu-se pela gurada compartilhada em casos de divórcio, exatamente pelo direito do pai, e agora vem com esse argumento nacionalista? Patético.

Um comentário:

El Basto disse...

Mmm... se eu fosse seu namorado nunca permitira a você viajar sozinha com as crianças para o Brasil... com nenhuma das cinco.